Zimbra e Microsoft Azure – série de artigos (parte 1)

Olá! Irei inciar uma série de artigos sobre Zimbra em ambientes Cloud. Nesta série, falarei sobre Zimbra na Microsoft Azure. Os primeiros artigos serão para quem está iniciando na implantação do Zimbra na Microsoft Azure.

Links com os tutoriais para instalação do Zimbra:

https://respirandolinux.com.br/2018/03/31/zimbra-howto-de-instalacao-do-zimbra-8-8-no-ubuntu-16/

https://respirandolinux.com.br/2018/03/31/zimbra-howto-de-instalacao-do-zimbra-8-7-ose-no-centosredhatoraclelinux-7/

Links para caso deseje hospedar o seu domínio no serviço de DNS da Azure:

https://respirandolinux.com.br/2018/05/31/azure-dns-excelente-opcao-para-dns-em-cloud-parte-1/

https://respirandolinux.com.br/2018/06/01/azure-dns-excelente-opcao-para-dns-em-cloud-parte-2/

Neste primeiro artigo, abordarei alguns detalhes para implementação do Zimbra na Microsoft Azure.

Em Novembro de 2017, a Microsoft atualizou suas políticas para envio de e-mail na Azure. De maneira resumida, contas criadas a partir de Novembro de 2017 não possuirão permissão para conexões de saída na porta 25, o que restringe completamente o envio de e-mails externos.

Em um primeiro momento, essa questão pode parecer um balde de água fria para quem deseja implementar o Zimbra na Azure, mas veremos que existem diversas alternativas para o envio de E-mails externos utilizando um serviço de relay.

Link para a política atualizada: https://blogs.msdn.microsoft.com/mast/2017/11/15/enhanced-azure-security-for-sending-emails-november-2017-update/

Irei publicar em breve um artigo sobre o Sendgrid (com excelente reputação), que é um serviço recomendado pela Microsoft para envio de e-mails externos. Outros serviços para entrega de E-mail também podem ser utilizados, desde que aceitem a entrega (autenticação é suportada e recomendada) em outras portas, como 2525 (essa porta é comumente utilizada por serviços de entrega de e-mail) ou 587 (submission).

Alteração do hostname

Se você criou a sua instância na Azure utilizando a interface, por padrão o hostname do servidor será o mesmo nome da instância, com um domínio interno da Azure acrescentado.

Há um certo tempo atrás, alterar o hostname de instâncias Linux exigia algumas alterações mais complexas, porém agora bastar alterar o hostname conforme o padrão de cada distribuição (eu, por exemplo, para instâncias Red Hat/Centos utilizo o utilitário nmtui).

Regras de entrada

É permitido receber e-mails externos no Azure, portanto não é necessário um serviço de relay para receber e-mails externos.

No Azure, é muito fácil para quem está começando criar regras de entrada, podendo ser feito pela própria interface (na próxima parte do artigo irei publicar o passo a passo):

Link com as portas utilizadas pelo Zimbra:

https://wiki.zimbra.com/wiki/Ports

 

Anúncios

Um comentário sobre “Zimbra e Microsoft Azure – série de artigos (parte 1)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s