Azure DNS: Excelente opção para DNS em Cloud (Parte 2)

Olá! Na primeira parte deste artigo (link aqui), apresentei o serviço Azure DNS como opção para hospedagem de zonas DNS em Cloud, com a confiabilidade, desempenho, facilidade de integração e administração do plataforma Azure, com excelente preço e sem custo com infraestrutura.

Este serviço pode ser contratado para a implementação de zonas DNS com diferentes propósitos.

Como neste blog um dos principais focos é E-mail, irei apresentar nesta segunda parte a criação de uma zona DNS para o domínio respirandolinux.com.br. Iremos efetuar as configurações iniciais para e-mail, com as entradas MX e SPF, além da entrada do tipo SRV para o serviço autodiscover.

Para criar a Zona DNS, no portal do Azure, clique em “Criar um recurso” e escolha a opção “Zona DNS” (procure por “dns” ou “zona dns” no campo de busca):

A próxima tela será exibida após selecionar a opção Zona DNS, com uma descrição do serviço. Clique em “Criar“:

Na tela de criação da zona DNS, você precisará preencher os seguintes dados:

  • Nome (da zona)
  • Grupo de recursos
  • Localização

Para este artigo, estamos criando uma zona DNS para hospedagem do domínio respirandolinux.com.br, com as seguintes configurações:

  • Nome: respirandolinux.com.br
  • Grupo de recursos (criar novo): dns_respirandolinux
  • Localização: Sul do Brasil

Após clicar em “Criar”, a zona será implementada com as configurações padrão do Azure, aguarde até o processo ser finalizado, que irá abrir o domínio para gerenciamento:

Na imagem (importante) abaixo, vemos a configuração padrão da Zona DNS recém criada no Azure:

Gostaria de já destacar os endereços registrados em “Servidor de nomes” 1, 2, 3 e 4. Estes serão os servidores DNS do seu domínio.

Clique na opção que contém a entrada “Email”, para editarmos a mesma informando nosso servidor de Email, que será o host “mail.respirandolinux.com.br”:

Como informamos que o nosso servidor de E-mail será o host “mail.respirandolinux.com.br”, vamos criar uma entrada para este nome, clicando “+ Conjunto de registros” e adicionando uma entrada do tipo “A”, com o host “mail” apontando para o endereço IP:

Nas imagens abaixo, vemos as consultas das entradas sendo efetuadas diretamente em um dos servidores DNS que irão gerenciar o domínio (o mesmo foi obtido na imagem destacada como “importante”).

Costumo e recomendo utilizar o “dig” para estas análises, informando  tipo de entrada que se deseja consultar, o domínio e para especificar um servidor DNS, colocar o mesmo precedido pelo “@“.

Para quem já conhece DNS e gerencia o serviço de E-mail, pode causar estranheza a consulta pela entrada MX (responsável por definir o(s) host(s) responsável(is) pela entrega de E-mails de um domínio) já retornar resultado. Isso é devido ao servidor já ter sido apontado na etapa anterior, porém dentro da configuração de “SOA”. Este tipo de configuração funciona perfeitamente, mas caso se deseje criar um registro do tipo MX, basta efetuar a configuração adicionando este registro.

Vamos agora criar um registro do tipo “TXT” para configuração correta do SPF (caso tenha necessidades diferentes, basta consultar sobre o mecanismo SPF), com o seguinte valor:

v=spf1 mx ip4:207.38.x.x -all

Onde você deve substituir “207.38.x.x” pelo endereço IP válido do seu servidor de E-mail.

Registros criados para o domínio, já incluindo a entrada TXT para o SPF:

Novamente estamos consultando o servidor DNS diretamente para validarmos nossas configurações, consultando a entrada TXT:

Com estas configurações, temos uma configuração inicial para o serviço de E-mail, lembrando que é fundamental a criação do DNS reverso para o endereço IP. Esta configuração geralmente é efetuada com a operadora ou provedor que disponibiliza o endereço IP.

Porém, neste exemplo estamos considerando uma implementação do Zimbra Network Edition, que possui o recurso Mobile, com o recuso de Autodiscover (mais informações sobre este recurso aqui) para configuração de e-mail, catálogo global e agendas sendo efetuada apenas informando o endereço de E-mail e a senha.

Para esta implementação, vamos precisar criar duas entradas:

  • Apelido (CNAME) autodiscover apontando para o servidor de E-mail (neste caso. mail.respirandolinux.com.br)
  • Entrada do tipo SRV para o servidor de E-mail (neste caso, mail.respirandolinux.com.br), com as seguintes configurações:
  • Nome: _autodiscover._tcp
  • Tipo: SRV
  • Prioridade: 0
  • Peso: 0
  • Porta: 443
  • Destino: mail.respirandolinux.com.br

Criação da entrada CNAME “autodiscover” para o servidor de E-mail:

Criação da entrada do tipo SRV:

Após efetuar as configurações e validar as mesmas, basta informar os servidores listados em “Servidor de Nomes” na sua zona no Azure como servidores DNS do seu domínio.

Para apontar algum endereço (por exemplo www) para o servidor com o site do seu domínio, basta criar uma entrada do tipo “A” apontando para o IP correto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s